Oficina da Crônica

novembro 17, 2009

CRÔNICA PARA UM ENFERMO

Filed under: 2009.02 — literarea @ 12:15 pm

Fiquei sabendo, pela caneta da nossa eficiente Roberta, que o “nosso querido mestre encontra-se acamado”. E que acamou-se sob o nome de Emanuel Villanova. Fiquei preocupado e disparei alguns telefonemas para tentar saber de detalhes. Queria saber se era grave, se estava sendo bem assistido. Teria família ou não teria família?. Teria amigos ao seu lado? Queria levar-lhe alguma ajuda, por modesta que fosse. Eu já me encontrei em situação semelhante, isolado do meu mundo, esquecido em um hospital frio, cheirando a clorofórmio, sem uma palavra de consolo, sem alguém que me pudesse estender uma colher com uma sopinha quente, um biscoito mergulhado num café com leite. Sei como é duro sobreviver quando se está só e abandonado.

Não obtive resultado com os telefonemas. Fiquei absorto em meus pensamentos vendo a situação agravar-se e eu aqui sem fazer nada. Horrorizado. Finalmente pensei: mas se o Mestre teve forças para escolher um pseudônimo, o mal não deve ser assim tão grave! E passei a concentrar-me no verdadeiro problema. Como foi que a Roberta descobriu que Villanova era o mestre? Há quanto tempo já saberia? Quem mais saberia? Por que é que eu não sabia? Eu, que passei semanas debruçado sobre listas, tabelas e gráficos tentando descobrir o que era o que e quem era quem. Eu, que não prestava atenção nas aulas para observar sinais e gestos, analisar sorrisos, contrações de lábios, levantar de sobrancelhas, ligar o não sei quem com o não sei qual para descobrir qual seria o quem e quem seria o qual?

Vem a Roberta e , com um estalar de chicote, desvenda o mistério.

Mas vejo que fugi ao meu escopo. Minha intenção era levar conforto ao nosso querido mestre. Espero que ele já se encontre junto aos seus e que esteja junto a nós na próxima quinta feira. E com isto espero também ter atendido à sugestão da Roberta – que para mim é uma ordem- de preparar uma crônica inter-semanal e fazer com que o mestre se orgulhe da laboriosidade dos seus alunos. Brava, Roberta!

Severino Mandacaru

Anúncios

4 Comentários »

  1. Meu dileto Severino,
    Quando li a sua crônica, gelei. Percebi que a mente humana é um vale fértil em que tudo que se planta dá.

    De onde o querido colega tirou a idéia de que eu descobri que Emanuel Vilanova é o nosso acamado Mestre ? Confio tanto na sua sabedoria e sensatez que creio que em algum momento fi-lo crer nisso, só não sei quando.

    Cada vez mais me assombro com a máxima de que o texto a partir de lançado pelo autor passa a ser do leitor.

    Quando Drumond dizia que lutar com palavras é a luta mais vã, entendo todo o enredo que o levou a uma aparente simples frase.
    Palavras são como as cores e os sons, traiçoeiras uma vez que tem múltiplas faces, guardam duplos sentidos, transitam nos meandros dos sentimentos.
    Daí o tormento do poeta, como dizer com palavras o que sinto, se o que que o outro sente é traduzido por ele com outra palavra ?

    Divagações a parte, deixe estar como está, isso só aumenta essa indagações identitárias a que o psicanalista Felipe Pena nos colocou.

    Quanto ao seu texto, já estão até nos alcovitando tal a admiração que nutro pelo colega, mas como não elogiar alguém que fala da preocupação do aluno pelo mestre e consegue transformar uma colher de sopinha quente e um biscoito molhado num café com leite em literatura brilhante ?

    Comentário por Roberta Bontempo — novembro 17, 2009 @ 1:45 pm | Responder

  2. Mandacaru e Bontempo,

    me divirto tanto lendo e relendo estes bilhetes de vocês que não tenho encontrado tempo para escrever a crônica intersemanal (alguém sabe se ainda tem hífem?
    Fiquei pasma ao saber que Emanuel Villanova era o mestre. Quando foi que Bontempo soube disso e quando foi que ela contou ao Mandacaru? Fiquei com um despeito danado. Então é isso: Nem a Roberta falou, nem o Severino ouviu.
    abçs Miranda

    Obs: o colega Noronha foi visto passeando defronte a Cobal do Humaíta!!!

    Comentário por miranda — novembro 18, 2009 @ 10:38 am | Responder

  3. Hífen!

    Comentário por miranda — novembro 18, 2009 @ 10:55 am | Responder

  4. Caros,

    Muito bom (…risos)! Hei de me revelar no momento oportuno.

    Saudações a todos,

    Emanuel Villanova

    Comentário por Emanuel Villanova — novembro 18, 2009 @ 3:52 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: